Interpretação de Daniel 8



Daniel 8
A. Um Carneiro, um Bode, e um Pequeno Chifre: Israel em× Conflito com o Anticristo do V.T. 8:1-27.
Interpretação de Daniel 8
Este capítulo repete muito da predição do capítulo 2, e especialmente do capítulo 7. Acrescenta detalhes quanto aos períodos medo-persa e grego. Após uma introdução histórica (v. 1), descreve-se a visão de um carneiro e um bode (vs. 2.14), seguida por uma interpretação (vs. 15.26), e uma conclusão (v. 27).

1) Introdução Histórica. 8:1.
Esta visão veio dois anos após a do capítulo 7 (cons. 7:1). Ela veio quando os judeus exilados precisavam de encorajamento para crer que× Deus realmente os restaurada, como tinha prometido (Jr. 25:11, 12).

2) As Visões. 8:2-14.
2. Quando a visão me veio . . . na cidadela de× SusãSua presença em Susã, uma cidade 400 quilômetros a leste da Babilônia, foi apenas na visão (cons. Ez. 8:1-3; II Cr. 12:2 e segs.; contraste com Jr. 13:1-7). Susã foi mais tarde a capital da Babilônia no Império Persa. Cidadela. Uma estrutura ainda futura, um palácio persa, provavelmente (cons. Ap. 20; 21; e a visão de João da futura cidade). Era provavelmente o palácio de Xerxes um século mais tarde (486-465 A.C.), um dos mais magnificentes de toda a antiguidade, abrangendo cerca de 1,01 hectare (cons. obras sobre arqueologia). Os acontecimentos do livro de Ester (cons. Et. 1:2) tiveram este cenário.
3. Um carneiro estava diante do rio, o qual tina dois chifres. Novamente se insinua a dualidade do império medo-persa (cons. o peito e os braços do capítulo 2.). O mais alto subiu por último. Embora a Pérsia fosse mais notável dentro da união, era o reino mais jovem. Em 550 A.C., Ciro, um persa, o construtor de Passárgada, a 40 quilômetros ao norte de Persépolis, a capital mais antiga, revoltou-se contra os medos, que dominavam até então, e veio a ser o senhor do reino duplo. Isto aconteceu mais ou menos quando Daniel estava profetizando.
4. Dois livros das Histórias de Heródoto descrevem os acontecimentos resumidos aqui. O Império Persa não sofreu nenhum contratempo sério até 490, quando um pequeno mas determinado exército de atenienses em× Maratona derrotaram as forças de Dario (pai de Xerxes, o Assuero de Ester). Uma segunda derrota, desta vez em uma batalha naval no golfo do Egeu (acima de Atenas), sucedeu a Xerxes dez anos mais tarde. Mas o carneiro realmente se engrandecia com uma magnificência que continua sendo lembrada e britada até o dia de hoje.
5. Um bode vinha do ocidente. Observe que ambos os animais são relativamente mansos animais domésticos e não iguais ao voraz urso ou leopardo do capítulo 7. Isto parece ser porque, no que se refere a Israel, ambos foram relativamente mansos a maior parte do tempo. Quanto ao relacionamento de um para com o outro, foram Viciosos (veja Ez. 34:17 e contexto, também Zc. 10:3). Conforme os metais da limagem se tornavam progressivamente mais fortes, assim o bode é mais forte do que o carneiro. O ímpeto destro dos exércitos de× Alexandre está predito na última parte de Dn. 8:7. Seu pequeno e rápido exército, com sua devastadora formação em falanges, varreu a Ásia Menor, a Síria, o Egito e finalmente a Mesopotâmia (334-331 A.C). Depois disso seus exércitos avançaram na direção leste para a Índia, e então voltou-se novamente para o oeste.
8. Alexandre morreu com trinta e três anos de idade, de febre e excessos alcoólicos, na Babilônia. Nos vinte anos subsequentes, suas vitórias foram divididas por quatro de seus sucessores militares. Duas das divisões resultantes – o Egito sob os Ptolomeus (o último dos quais foi a formosa Cleópatra) e a Síria sob os Selêucidas, os históricos reis do Sul e do× Norte, respectivamente – são de importância na qualidade de vizinhos dos judeus. Eles se destacam de maneira especial no cap. 11.
9-14. Estes versículos predizem o triste conflito dos judeus, na segunda metade do segundo século A.C. (depois do seu regresso do exílio), com Antíoco IV, o rei selêucida, chamado Epifânio (o "Magnífico") pelos amigos, e Epímanes (o "louco") pelos inimigos. Muitos intérpretes evangélicos vêem aqui um tipo do Anticristo e o seu conflito com Cristo e o Seu povo no rural dos tempos. É possível que seja (veja abaixo). Os 2.300 dias são literalmente, manhãs-e-tardes, isto é, os holocaustos das manhãs e das tardes, e assim se referem na realidade a apenas 1.150 dias. Parecem se referir ao período de 168-165 A.C. quando o Templo foi profanado pelos sacrifícios pagãos.

3) Interpretação das× Visões. 8:15-26.
15, 16. Gabriel significa herói de Deus. (Veja 9; 21; 10; 13; Lc. 1:19. Cons. Dn. 7:16 e observações.)
17, 18. Que um homem de caráter tão integro quanto o de× Daniel pudesse reagir assim demonstra o abismo moral que separa Deus e os seres santos do céu do restante da humanidade. Veja também 10:9, 15, 17; Êx. 3:6; Is. 6:5; Ez. 1:28; Atos 9:3, 4; Ap. 1:17. Daniel tinha motivos para temer a morte (veja Êx. 33:20; Jz. 13:22).
19. Os termos, ira fim (cons. 11:36), sugerem que aqui temos mais do que a história nos conta de Antíoco e os Macabeus. Esta observação dá apoio à interpretação típica acima sugerida. Não é incomum que se combine um ponto de vista literal, aproximado com um típico, distante dentro do escopo de uma profecia particular.
23-26. Esses versículos acrescentam detalhes específicos ao retrato de× Antíoco. Os judeus dificilmente deixariam de reconhecê-lo quando aparecesse. Esta profecia pode muito bem ter sido o próprio meio divino usado para sustentar os fiéis através daqueles dias difíceis. Hebreus 11:34-37 comemora o seu heroísmo.

4) Conclusão Histórica.

8:27. Enfraquecerá. Literalmente, exausto. Mais tarde regressou ao trabalho, evidentemente meditando no que vira.

Marcadores:
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/pralexsandrocosta} {twitter#https://twitter.com/iadmps} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+ALEXSANDROCOSTAPR} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCLIBLkxeaLQZA9uP1ob99Og}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget