Você sabe como buscar em primeiro lugar o reino de Deus?



Por Eliseu Antonio Gomes
"Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça" - Mateus 6.33.

O versículo acima é parte de sermão do monte, é muito conhecido no meio cristão, é muito comum ser recitado em momentos de adoração. Realmente, trata-se de uma sublime exortação e precisa mesmo estar em voga. Mas, mesmo tão evocado em tantas gerações de cristãos, quantos crentes sabem o que significa buscar em primeiro lugar o reino de Deus?

Na dúvida, é importante observar o texto e o contexto para ter condições de interpretar corretamente o que Jesus quis nos ensinar em Mateus 6.33. Ao nos lançar no estudo do capítulo, a pesquisa no leva a perceber que o Mestre não fala diretamente "como fazer". A linha de raciocínio do sermão de Cristo nos traz ilustrações de provisões de Deus para as aves e para os lírios do campo.

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas" - Mateus 6.24.


"Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles" - Mateus 6.25-29.

Para entender o que o Mestre quis dizer sobre como buscar o reino de Deus, é necessário fazer a conexão dos versículos 24, 25 ao 29 com o 33.

Não é possível ao ser humano servir inteiramente a Deus e ao Dinheiro. A ansiedade em não ter o necessário é um sinal negativo. A pessoa que vive ansiosa e temerosa em faltar o suficiente para comer e vestir-se é escravizada pelo Dinheiro, não é serva de Deus. .

As ilustrações de Deus alimentando pássaros e proporcionando beleza às flores do campo é uma lição para nós, nos ensina que o Criador - que dá água e comida aos pássaros e faz o serviço de jardineiro às plantas que, humanamente, estão abandonadas - é o nosso Provedor.

"Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (versículo 33) é um imperativo que decorre da frase reveladora "não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo" (34). Ou seja, a inquietação é uma ocupação mental precipitada e inútil!

Na preleção do monte, Jesus Cristo nos convida a servir a Deus de maneira clara e plena, solicita-nos a escolher quem é o nosso Senhor. Apresenta a opção de desprezar o atrativo que o Dinheiro tem e descansar na fé e amor de Deus, que zela eficazmente pelo nosso bem-estar. Afirma que não é possível servir a Deus e ao Dinheiro ao mesmo tempo, ser uma pessoa escravizada pelo medo da escassez e simultaneamente agradar a Deus. Nos diz que é preciso escolher apenas um senhorio. Assim, o Mestre, tal qual a sugestão encontrada em Deuteronômio 30.19, nos mostra que de maneira voluntária o crente deve fazer sua opção pelo bem e pela vida.

É importante escolher o caminho correto. Faça a sua escolha! Não há nenhuma necessidade de viver angustiado pensando que passaremos fome e sede, vergonha e frio por carência de roupas. Quando o crente de aplica a priorizar as coisas pertinentes ao reinado de Deus em seu viver, sua vida é devidamente cuidada por Aquele que criou todas as coisas.

Ser cristão autêntico é mais do que apenas ter uma vida religiosa de oração e leitura da Bíblia Sagrada e viver socialmente com uma moral aceitável pela sociedade. Este tipo de pensamento equivocado era o engano do jovem rico, que foi ao encontro de Jesus e desistiu de segui-lo quando Cristo solicitou que distribuísse suas riquezas com os pobres (Mateus 19.16-23). Na mente religiosa e mundana daquele jovem religioso, não havia a fé de que Deus era o seu Provedor, ele acreditava que a resposta de todos os seus problemas estava no poder aquisitivo das riquezas, ao ouvir a sugestão de compartilhamento de seus bens logo se amedrontou pensando que passaria por privações se compartilhasse sua fortuna, e entristecido deu às costas para o Salvador.

Como priorizar de maneira correta o reino de Deus e sua justiça? O sermão do monte e o relato do jovem rico nos revelam que o coração do ser humano precisa fazer a sua escolha entre servir ao Dinheiro (confiar no poder de resposta que o Dinheiro dá substituindo problemas por soluções) e servir a Deus (confiar em Deus e seu amor, que gera a provisão sob medida às aflições desse mundo).

A relação com a preocupação em possuir Dinheiro, a riqueza como solução para tudo, é incompatível com a fé em Deus. Qualquer pessoa que busque em primeiro lugar o Dinheiro e dê vazão à preocupação com o que tem para comer e vestir, jamais será realmente realmente serva de Deus, no mínimo será uma pessoa religiosa e bem quista aos olhos humanos.

O medo é o inverso da fé e sem a fé é impossível agradar ao Senhor, quem se aproxima dEle precisa crer que Ele é galardoador, isto é, dá presentes, aos que o buscam (Hebreus 11.6).

A caminhada de busca ao reino de Deus e sua justiça exclui apenas a "preocupação" e não a ocupação com as coisas desse mundo. "Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai" - Filipenses 4.6-8. No idioma grego, neste versículo, o verbo pensar tem a ver com planejamento.

Jamais devemos pensar que importar-se com as coisas dessa vida será sempre algo pecaminoso. Aos casados, afirmou o apóstolo Paulo, cabe a responsabilidade de cuidar das coisas dessa vida em como agradará ao seu companheiro de matrimônio (1 Corintios 7.32-33). Deus não censura o preparo educacional, a reciclagem profissional e o fruto trabalho honesto que gera uma vida de conforto e riqueza. É importante ocupar-se de maneira digna para através do próprio suor comprar a alimentação e o vestuário pessoal e da família, ter a habitação que o abrigará e abrigará a família. A prosperidade conquistada honestamente é um dom de Deus (Eclesiastes 5.19).

A nossa fé em Jesus Cristo como Filho Unigênito de Deus nos faz filhos de Deus. Ele é nosso Pai Celestial, sabe de tudo que precisamos, nos ama e vê a realidade antes que o ontem se torne hoje e o hoje se torne em amanhã e dessa maneira cuida de nós, não permitindo que nenhuma necessidade básica não seja suprida, portanto, ignoremos o desconforto das incertezas. É um despropósito ignorar a justiça do Senhor, perder a paz e alegria no Espírito ao ponto de trocar a busca do reino de Deus pela ansiedade provocada pelo medo da falta de comida e bebida (Romanos 14.17).

"Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso" - Mateus 6.31-32.

 FONTE; E.A.G.
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/pralexsandrocosta} {twitter#https://twitter.com/iadmps} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+ALEXSANDROCOSTAPR} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCLIBLkxeaLQZA9uP1ob99Og}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget